Como sair da dívida tendo pouco dinheiro

como sair da dívida mesmo tendo pouco dinheiro
Se você está com dívidas ou entrando vermelho aprenda como sair das dívidas sem sacrifícios insanos mas tendo o controle todas das finanças. Leia o artigo…

Sair das dívidas com pouco dinheiro parece o sonho de toda pessoa que busca encontrar uma forma de equilibrar suas finanças. Embora saibamos que alguns tipos de dívidas, como uma hipoteca do imóvel que você mora, possa ajudar a construir riqueza ao longo do tempo quando administrados com sabedoria, estar profundamente endividado pode ser estressante e desanimador.

Felizmente, é possível para todas as pessoas sair do aperto de suas dívidas. Claro que isso não vai acontecer da noite para o dia — pode levar tempo, tem que haver planejamento e talvez alguma ajuda profissional, mas pagar seus encargos e débitos é simplesmente possível.

Seguir estes passos vai ajudá-lo a sair da dívida, e fazer você permanecer com as finanças livre para no futuro construir um bom crédito, aumentar a pontuação e ter score de dar inveja, a longo prazo – não se iluda!

Para começar o processo…

Liste tudo o que considera divida

Para pagar tudo o que você deve, primeiro você precisa saber exatamente quais e quanto são:

  • Faça uma lista de todos os compromissos financeiros: Inclua seu empréstimo imobiliário (hipoteca), empréstimo do veículo, empréstimo estudante, crédito pessoal, limite especial e outros tipos de financiamentos, carnês de crediário e faturas do cartões de crédito etc.
  • Para os empréstimos, anote a taxa de juros, o saldo devedor, a modalidade do empréstimo e o valor do pagamento mensal
  • Para cartões de crédito, anote a taxa de juros, o saldo devedor total, o valor da fatura mensal e o vencimento
  • Para cheque especial, anote o juros cobrado no período e quanto de saldo negativo esta vinculado a sua conta bancária

Se não tiver certeza que listou todas as contas em aberto, especialmente aquelas que podem estar em atraso ou como inadimplente, você pode verificar seu relatório de crédito gratuito solicitando ao Serasa, ao Boa Vista SCPC ou ao SCP Brasil. O relatório mostrará quais credores incluiram você como devedor.

Em geral as pessoas sequer tem motivação para anotar todas as dívidas com medo de saber o verdadeiro montante que esta devendo, outras ao fazer as anotações, acham que a divida é tão alta que não conseguirá pagar. No entanto, para se livrar de dívidas, por um período de tempo o endividado precisa desapegar de muitas coisas que ele adora mais o leva para o buraco.

Sair com os amigos para barzinhos e viajar todo feriado prolongado as custas do cartão de crédito ou do cheque especial não vai resolver os problemas com as dívidas.

Decida quanto você pode pagar por mês

Para liquidar parte dos débitos acumulados, existem alguns passos importantes que você necessariamente precisa tomar. Faça uma outra lista. Nesta, inclua todas as suas despesas mensais que não estão relacionadas a dívidas financeiras, liste os custos com mantimentos, contas de consumo, água, energia, telefone fixo e celular, teve a cabo, gastos com gasolina, aluguel, condomínio, entretenimento, academia, vestuário, etc.

Alguns desses valores podem variar de mês para mês, por isso é uma boa ideia levar em conta a média mensal dos meses. Por exemplo, para obter uma média para sua conta de eletricidade, some o total dos seis meses de contas e depois divida a soma por seis. Esse é o seu custo médio de eletricidade nos últimos meses.

Esta lista representa as despesas básicas que você deve pagar todo mês. Agora, compare esse valor com sua renda mensal. Considere apenas o dinheiro que você recebe liquido após pagar os impostos e outras deduções do salário. Subtraia as despesas totais de sua renda mensal.

Se a quantia que sobrar depois de pagar essas contas básicas e necessárias é menor do que a quantia que você precisa para pagar a sua dívida de compromissos financeiros e débitos, você precisará agir.

Você pode escolher…

  • Reconsidere suas despesas. Procure encontrar meios reduzir gastos, cortar despesas e parar gastar com futilidades e coisas desnecessárias. Por exemplo, se você come fora, vai muito ao cinema, gosta de doces e bolos, cortar essas coisas pode economizar dinheiro que você pode usar para pagar as dívidas.
  • Considere consolidar as dívidas. Um empréstimo para consolidação de dívidas permite-lhe unificar múltiplas dívidas com juros elevados, cartão de crédito com saldos, limites em atraso, em uma única dívida com juros mais baixos. Reduzir as despesas com juros pode facilitar a realocação de mais dinheiro para outros pagamentos.
  • Aumente sua renda. Com certeza essa ação ajudará ter mais dinheiro para pagar as dívidas. Você pode conseguir um segundo emprego, vender água no farol ou produtos e utensílios que não precisa usa. Procure um emprego que pague mais.

Se a quantia que sobrou depois de pagar as despesas básicas for maior do que o valor mínimo que você precisa pagar para sua dívida, decida quanto dinheiro adicional você gostaria de reservar para pagar a cada mês. Lembre-se, quanto mais você puder pagar acima do mínimo, mais rápido será capaz de saldar seus deveres e obrigações.

Reduza suas taxas de juros

As altas taxas de juros podem fazer com que sua dívida cresça rápido, especialmente se você tiver endividado com o cartão de crédito. Quando você está pagando muito juros, pode ser difícil pagar o saldo principal.

Aqui estão alguns tipos comuns de dívida com juros mais altos e algumas dicas sobre como reduzir os juros que você paga em cada uma delas:

Cartões de crédito

Você tem algumas opções para reduzir as taxas de juros do cartão de crédito:

  • Você pode ligar para o emissor do seu cartão de crédito para pedir a eliminação de taxa anuais e juros mais baixos. Se você tem um bom histórico de pagamentos com eles e uma boa pontuação, eles podem concordar em reduzir algumas taxas por pelo menos um período de tempo, ou até mesmo permanentemente.
  • Um empréstimo de consolidação da dívida pode ser outra maneira de reduzir suas taxas de juros, uma vez que empréstimos desse tipo normalmente cobram juros mais baixos do que os cartões de crédito.

Como ficar livre da dívida mesmo tendo pouco dinheiro

Empréstimos no limite bancário

Enquanto certos tipos de empréstimos pessoais podem ter taxas de juros baixas, e outros um tanto quanto insanos, os empréstimos com limite bancário tem taxas de juros intermediários, nem caro e nem barato, contudo, pode não ser nada agradável se você não devolver o valor emprestado dentro de no máximo 10 dias.

Se o seu limite é alto e você é daqueles que gastam sem olhar para o saldo devedor, em pouco tempo os juros aumentaram bem rápido.

Você deve ficar em dia com a sua dívida com banco fazendo um parcelamento desta dívida, caso não consiga reduzir o pagamento bruto você terá de ser capaz de obter um empréstimo em outra instituição para consolidar estes encargos bancários.

Você pode solicitar um empréstimo de consolidação de dívida de um outro banco ou outra instituição financeira que combine seus empréstimos e outras dívidas, como a dívida de cartão de crédito.

Empréstimo para liquidação de dívidas

Se você está procurando ajuda para lidar com taxas de juros mais altas e dívidas difíceis de administrar, você pode estar se perguntando se a liquidação total da dívida não é uma boa opção para você.

Algumas empresas de oferecem modalidades especiais de empréstimos com taxas tão baixas que vale a pela pegar contratar essas modalidades, pegar o dinheiro e realizar a liquidação da dívida de uma só vez. Com dinheiro na mão, basta negociar com os credores os descontos da quitação.

A liquidação total de dívida pode tornar mais fácil para você reorganizar sua vida financeira, controlar suas finanças e colocar seu CPF em ordem tirando ele da lista de devedores caso esse seja o seu caso – ter o nome limpo facilita o crédito.

Sempre que você paga pelos menos uma parcela das demais de uma renegociação, ou paga o valor total devido ao credor, ele tem até cinco dias para retirar a informação negativa do seu relatório de crédito. Informações que o torna negativado, contribui para a perda de crédito na praça e reduz a pontuação de crédito.

Procure por organizações que fazem o aconselhamento de crédito para poder ajudá-lo a entender melhor as táticas para gerenciamento e reduzir da sua dívida individual, incluindo a criação de uma planilha para cumprimento do plano.

Pague suas contas e dívidas em dia a cada mês

Pagar todas as suas contas em dia, no vencimento a cada mês é uma das melhores coisas que você pode fazer pelo seu nome, pela finanças e pelo crédito. Tome medidas necessárias que garantam que você se lembre de pagar seus compromissos financeiros dentro do prazo esperado.

Ao configurar os pagamentos para que sejam feitos automaticamente ou com lembretes de pagamento por meio de seu banco, isso irá garantir que você nunca perca o vencimento de nenhum pagamento que gere encargos e multas, ou mais juros.

Se você está percebendo que está tendo problemas para manter todas as suas contas em dia e acompanhar quais os pagamentos devem ser completados, algumas ações simples podem te ajudar, inclua:

  1. Um novo empréstimo para unificar e consolidar suas dívidas permitirão que você substitua vários pagamentos mensais em um único.
  2. Um plano de gestão da dívida reduzirá o número de pagamentos que você precisa se lembrar todos os meses.
  3. Uma consultoria ou um conselheiro de crédito irá negociar com seus credores para ver se eles aceitarão taxas de juros menores, algumas isenções de taxas ou a liquidação do valor com descontos.

Naturalmente, você não precisa da ajuda de um profissional, coach ou consultor de crédito para criar seu próprio plano para administrar suas dívidas mensais. Existem várias maneiras de pagar dívidas:

  • Pegue dinheiro extra para pagar os débitos e despesas com taxas de juros maiores. A longo prazo, isso reduzirá o total de juros.
  • Pegue dinheiro extra para pagar as faturas do cartão de crédito ou parcele o valor do saldo com seu banco ou na administradora do cartão. Você será capaz de pagá-lo mais rápido.
  • Primeiro, lide melhor com as dívidas que geram mais impacto ao seu bolso e na sua vida pessoal para evitar cobranças e o aumento de juros sobre o valor do principal, além de risco de perda de bens como no caso da hipoteca.

Seja responsável e inteligente

Se você está trabalhando para pagar suas dívidas atuais, é importante não prejudica todo o seu esforço assumindo novas dívidas. Evite a tentação de pedir um novo empréstimo pessoal ou gastar com cartão que possui limite livre, se fizer isto, irá apenas aumentar sua dívida e prejudicar ainda mais a sua situação.

Cada vez que você saldar uma dívida com sucesso, no próximo mês coloque o dinheiro extra liberado para pagar mais de suas outras contas pendentes. Nos meses em que você ganha mais dinheiro, fora o da renda prevista, ou suas despesas cotidianas ficaram menores, faça o dinheiro trabalhar para você, faça sempre pagamentos adicionais para acabar com suas dívidas.

E se você ainda precisar de ajuda?

Às vezes a dívida é grande demais, e você tem medo de não conseguir pagar tudo o que deve. Bom, você tem algumas opções de último recurso, incluindo um plano de gerenciamento da dívida.

Um dos grandes erros de muitos devedores é deixar as dividas, compromissos financeiros e financiamentos sem garantia ficarem para trás. O problema não é tão grande quando se trata de empréstimo sem garantia, mas quando falamos de hipotecas e financiamentos com bens como garantia ai a corda pode apertar o pescoço.

Dependendo do tipo do empréstimo pessoal deixado pra trás, as informações como negativado permanecerão no seu relatório de crédito por 3 ou 5 anos, se for para o cartório, ficará por muitos anos. Pode não valer muito a pena deixar as dívidas caducarem.

Você pode ter todas as suas dívidas eliminadas ao fazer um empréstimo com garantia ou um empréstimo consignado que possui taxas de juros menores que 2,5%, se não puder, encontre um bem de valor, uma joia por exemplo e faça um penhor como forma de conseguir dinheiro emprestado.

Nunca deixe de fazer um plano para pagar pelo menos parte de sua dívida.

Uma vez que você estiver livre de todas as dívidas, pendências financeiras com credores e com nome limpo, comece a reconstruir seu crédito. Continue praticando boas práticas de crédito e gestão financeira das finanças.

Pague todas as suas contas e compromissos no vencimento e evite deixar saldos no cartão de crédito pagando somente o mínimo no mês e sempre terá meios e formas sem burocracia de conseguir dinheiro emprestado.

Unificar e consolidar dividas e débitos

unificar e consolidar divida e débitos
Você sabe como fazer para consolidar unificando todas as dívidas? Entenda como reunir suas dívidas em apenas um pagamento.

Quando consolidar todas dívidas e débitos para juntar todos os pagamentos em um único? Primeiro devemos saber que ter dívidas não é algo que alguém espera que se torne parte de um problema financeiro grave, principalmente quando vivemos em um cenário que obter crédito pessoal, fazer empréstimo ou financiamentos pode ajudar a custear e até limpar o nome com restrição.

Infelizmente para muitos cidadãos, as obrigações com as finanças se tornou aparentemente uma daquelas pequenas coisas que estão sempre apertando o calo e prejudicando no controle financeiro doméstico e do dia a dia.

Por essa razão, é importante saber como lidar com todo tipo de encargos e, se não tê-los organizados, afetam todas as áreas da vida.

Perguntas mais frequentes…

  1. Como juntar todas as dividas
  2. Como transformar muitas dividas em uma só
  3. Onde encontrar empresas de consolidação de dividas
  4. Como os empréstimos para consolidação dívida funciona

Felizmente além de você não estar sozinho, bancos e financeiras estão mais flexíveis ao oferecer variedades de modalidades de crédito que contribuem para reduzir ou eliminar de vez pendências financeiras e contas já inadimplentes. Um dos produtos para isso é consolidação de dívida, com ela é possível concentrar todos os passivos e débitos ao fazer um novo empréstimo pessoal.

Ao consolidar dividas, uma pessoa consegue se livrar de vários encargos e pagamentos com diferentes taxas de juros, dá até para pagar compromissos pendentes etc.. a operação não é complicada, pelo contrário.

Como consolidar dividas de empréstimos com taxas altas

Infelizmente, a compreensão de que “a casa está caindo” por causa dos muitos compromissos financeiros contraídos demora um pouco para acontecer, tanto pela falta de dinheiro, tanto pelo do fato de perder o crédito na praça e o poder de compra, tanto quanto as cartas de cobrança do Serasa, SPC e outros que começam a chegar!

E é por isso que talvez algumas pessoas se encontram em dificuldades — será que é por negligência, consumismo ou indisciplina?

No Brasil as escolas públicas e particulares sequer estão começando a ensinar administração financeira, economia básica ou sobre serviços bancários como parte extra-curricular, portanto, em muitos casos, há uma grande lacuna no conhecimento quando se trata de acumular dívidas e pedir dinheiro emprestado.

A maioria dos que não foram ensinados a administrar o seu dinheiro pelos pais, na escola ou por não terem um padrão próprio em querer cuidar adequadamente da renda e das receitas, em geral aprendem por tentativa e erro, usando o bom senso, recebendo conselhos de amigos, mentores, blog de finanças e sites online de crédito.

Unificar dividas com a consolidação de dividas

A consolidação de dividas e débito é algo que deveria ser conhecido e utilizado por todas as pessoas, inclusive ser divulgado e oferecido mais amplamente em bancos e financeiras do país. A ideia de tornar o orçamento financeiro controlado e gerenciado ajuda a manter a cabeça fresca e no lugar.

— Com a consolidação você reduz o valor dos reembolsos mensais com muitas instituições juntando todos os pagamentos em somente um lugar.

Realmente pode ser excelente para muitos devedores e mutuários de empréstimos pessoais e financiamentos consolidar suas dívidas.

Um empréstimo pessoal para consolidação da dívida cobre e paga várias dívidas menores criando uma única totalmente gerenciável. Dependendo do país que você estiver isso pode ser feito naturalmente como nos Estados Unidos, Austrália, Reino Unido, em Portugal e muitos outros países.

Aqui no Brasil, o que chega mais perto disto que estamos falando é a portabilidade de crédito, compra de dívida, o refinanciamento de imóvel e veículo..

Nos aqui do GranaSmart não conhecemos nenhuma instituição que faça ou tenha interesse nesse tipo de operação financeira, se você souber, por favor nos informe para que possamos atualizar nossa base de conhecimento e colocar aqui no site.

Precisa entender de finanças pessoais para controlar dívidas?

Não muito, mas uma vez que começa, não tem como não fazer direito! Agora se você tem a chance de contratar essas modalidades de crédito, vai descobrir que terá a chave para gerenciar qualquer tipo de compromisso financeiro ao embarcar na consolidação, principalmente se tiver a compreensão inicial de suas finanças pessoais.

A compreensão de suas finanças pessoais significa ter uma boa ideia do que entra e sai da sua conta bancária a cada mês. Você precisa saber qual a quantia que você precisa gastar em itens essenciais e quanto você deve e para quem — você estas coisas?

Se você e mais pessoas que estão lendo este artigo são responsáveis pelas finanças de casa, pode ser muito útil reservar um tempo para todos da família sentarem para entender melhor o que está acontecendo com o dinheiro das receitas e salários.

Junte todas as suas contas, despesas e débitos em um pagamento

Se puder, é essencial anexar todos os registro de contas, contratos de crédito, de empréstimo pessoal e financiamentos, liste também débitos financeiros que aparecem nos seus extratos bancários para poder calcular o que deve ser pago e quando pagar.

Antes de fazer qualquer outra coisa, descubra quanto dinheiro você precisa mensalmente para conseguir manter o básico. Isso significa ter que listar despesas importantes como pagamentos de aluguel, hipoteca, contas de serviços públicos, pagamentos de crédito (como pagamentos de empréstimo, dívidas com cartão de crédito parcelado e financiamentos com automóveis etc.) e custos com alimentação, seguros e despesas cotidianas.

com consolidação da dívida e débitos a situação ficará melhor

Contabilize quanto dinheiro entra e quanto dinheiro sai

Em seguida, você deve contabilizar quanto dinheiro entra em sua casa e como combinar as diferentes despesas para dar-lhe uma idéia de quanto dinheiro é necessário para pagar todas as contas e débitos e quando disto é excedente, ou seja, dinheiro que você pode gastar como quiser.

Sabendo de toda esta informação, você com certeza vai descobrir onde seu dinheiro esta sendo desperdiçado. A organização das finanças irá permitir fazer ajustes no seu orçamento e descobrir se com uma consolidação da dívida e débitos a situação ficará melhor para você e suas finanças.

Encontrar a solução certa para consolidação das dívidas

Há muitos fatores que podem levar você para a consolidação das dívidas.

Na Internet existem um número grande de empresas de empréstimo focadas especificamente na consolidação de dívidas – você pode ter visto anúncios e publicidade aqui mesmo no GranaSmart ou em outros sites que falam de serviços bancários ou financeiros como nós – mas vale mencionar que a consolidação nem sempre vão ser oferecidas com taxas baratas e nem sempre serão a melhor opção.

Por esta razão, é importante fazer muita pesquisa ampla, fazer comparação e tentar achar uma oferta mais barata, sempre há em outro lugar, basta procurar.

Pegar empréstimo pessoal para consolidar dívidas

O empréstimo sem garantia estão se tornando uma opção cada vez mais popular para quem deseja fazer a consolidações de dívida para pagar compromissos financeiros, especialmente agora que muitos credores e fintechs estão aumentando as ofertas de crédito.

Como dissemos, há diversos credores e financiadores que operam no mercado atual, você pode pedir de R$ 1.000 até R$ 50.000 facilmente e devolvê-lo em curto prazo ou se preferis ao longo de vários meses (até 180) para garantir pagamentos mais amigáveis.

Um montante acima de R$ 15.000 por exemplo pode ajudar a reduzir as dívidas do seu cartão de crédito, cheque especial ou dívidas com empréstimo em agiotas ou empréstimo mais caros, o importante é você reduzir o seu custo com qualquer tipo de débito financeiro.

O que é dívida impagável ou quase impagável?

A inadimplência acontece tão rápido e tão simples quanto pegar ou usar seu crédito com algo não essencial e que não valha a pena. E quando você acaba pagando mais de volta do que toma emprestado? Nem importa onde você pegou emprestado, então é óbvio que vai se perguntar se o motivo do seu crédito vale a pena.

Qualquer uma dívida é muito cara e difícil de pagar ou ela deixa você no vermelho todos os meses ou sedo ou tarde você vai deixar de pagá-la — isso é dívida impagável.

Contratando uma consolidação para pagar minhas dívida?

Consolidar dívidas consiste em conseguir um empréstimo pessoal para quitar outros empréstimos, financiamentos ou créditos como os: cartão de crédito, automóvel, imóveis etc.

Contratando uma consolidação é possível pagar várias dívidas e débitos juntando tudo num só pagamento mensal, essa é uma excelente opção para diminuir dívidas e aumentar o dinheiro no seu bolso.

Quando for olhar para a consolidação de dívidas, é importante entender o que significa uma “dívida boa” e uma “dívida ruim”.

Apesar de não existir uma regra clara sobre quais produtos de crédito são “bons” ou “ruins”, pois depende das circunstâncias de cada pessoa, há perguntas fáceis que você pode fazer para ter uma boa ideia se as suas dívidas valem a pena ou não submeter a consolidação.

Com a consolidação, as dívidas “ruins” sempre valem a pena pagá-las o mais rápido possível.

Os cartões de crédito podem ser usados ​​para consolidar dívida?

Às vezes, nem sempre os próprios cartões de crédito são uma boa maneira de consolidar dívidas, essa manobra financeira só pode funcionar bem se você tiver um bom histórico de crédito.

Como um bom histórico de crédito você pode pedir um cartão de crédito com juros zero, feito isso, você pode transferir seus débitos para pagar de forma mais facilitada, sem incorrer em mais juros.

Para aqueles que não têm um bom histórico de crédito, a opção seria pegar um empréstimo barato como:

  • Fazer um empréstimo com garantia de imóvel com juros a partir de 1.15%
  • Fazer um empréstimo com garantia de veículo com juros a partir de 1.49%
  • Fazer um empréstimo consignado em folha com juros a partir de 1.89%

Ou seja, escolher uma forma de crédito mais barata dependendo de suas circunstâncias individuais, é claro. Você pode tentar fazer empréstimos para consolidar dívidas na Lendico, na Creditas, Just, Crefisa, Bom pra Crédito entre outras.

Como os pagamentos regulares e unificados você poderá respirar muito mais tranquilo e não vai mais ter que se preocupar com quatro ou cinco datas de vencimentos de suas contas e prestações.

Consolidação da dívida: Junte todas dívidas

Consolidação da dívida no Brasil: Junte todas dívidas em uma só
A consolidação de dividas pode ser boa para uns e péssimo para outros, procure entender qual a melhor solução para se livrar delas.

Você certamente já deve ter ouvido alguém falar que iria fazer um “empréstimo para consolação de dívida” — a consolidação serve para usar um novo empréstimo pessoal urgente para pagar todos os débitos financeiro existentes ou uma parte deles.

Em geral, o ideal é usar essa solução de crédito quando as despesas começam a sair do controle. As vezes a situação financeira pode parecer desesperadora, mas a grande verdade é que quanto mais cedo você começar a agir para evitar custos com dívidas e despesas com compromissos financeiros, mais economia com juros você ganha.

O pior acontece quanto as pessoas devedoras acham que ignorar todas as chamadas telefônicas, SMS ou responder as cartas dos credores seja um grande plano — mas esta é a forma mais desinteligente que alguém pode fazer quando esta devendo ou com pagamentos pendentes.

Controle seus débitos fazendo a consolidação de dívidas

Se você não assumir o controle dos seus compromissos com os pagamentos mensais, simplesmente deixará as suas finanças ficarem bem complicadas com o passar do tempo.

Desde os empréstimos pessoais com bancos, empréstimos estudantis, financiamentos de carro, hipotecas, cartões de crédito e contas de serviços públicos etc.

As dívidas sempre acabam se acumulando com o tempo e antes que você perceba, os juros mais caros tentaram pedir a sua cabeça.

Para reduzir dívidas e permanecer o mais livre possível delas, você precisa entender a verdadeira razão pela qual você se endividou. Uma das principais razões pelas quais as pessoas começam a perder pagamentos (deixar atrasar), é porque elas adquirem o mau hábito de gastar irresponsavelmente.

Outro fator que causa problemas com endividamento, são os acúmulos compostos de juros altos quando simplesmente poderia baixá-los realizando alguma operação de crédito para eliminá-lo ou reduzi-los.

A ostentação é outro problema, comprar bens de luxo, financiar desejos de consumo e viagens de feriados prolongados financiados com cartão de crédito e empréstimos pessoais, são as causas mais comuns que fazem as pessoas ficarem devedoras.

Se estas são as razões pela qual você se endividou, então você tem que reduzir esses custos imediatamente.

Pare de gastar atoa e comece a pagar suas dívidas

Esta pode ser uma mudança muito difícil! Outro problema comum que atrasa a ação de sair das dívidas é que as pessoas simplesmente não sabem como ou por onde começar — nesses casos é muito importante que seja gasto algum tempo em aumentar o conhecimento na educação financeira — você simplesmente não pode consertar o que não entende muito bem.

Se você nunca criou ou estabeleceu um controle financeiro para ficar livre de dividas, então este seria o momento para fazê-lo. Comparar suas dívidas boas com as dívidas ruins, ajudará controlar e diminuir seus gastos.

Descubra exatamente como vai pagá-las.

Se você estiver gastando seu dinheiro com itens supérfluos dos quais não tem uso real — você terá que considerar vendê-los e usar o dinheiro para pagar algumas das dívidas mais críticas. Além disso, qualquer aumento de salário, férias, décimo terceiro ou bonificação no seu emprego deve ser imediatamente usado para pagar dívidas.

A segunda ação que você precisa fazer é sentar com tranquilidade para listar todos os seus credores financeiros para saber quanto você deve para cada um deles e quais são as taxas de juros aplicadas em cada tipo de crédito.

Se você for casado, o ideal é fazer isso junto com seu cônjuge para que a renda combinada dos dois possa ser estabelecida e dividida da maneira mais eficiente possível. Você precisa priorizar custos que são os mais essenciais e aqueles com maior taxa de juros.

As dívidas essenciais são empréstimo imobiliários (hipoteca) e empréstimo com garantia, contas de serviços públicos, dívidas de impostos e despesas fiscais, e dívidas que tem juros muito altos como: cartão de crédito, empréstimos bancários e financiamentos.

Feito isso, você precisa entrar em contato com cada credor e tentar negociar novas taxas ou até mesmo tentar refinanciar as dívidas — em geral, eles estarão dispostos em ajudá-lo se você for honesto o bastante para demostrar interesse. Você só não pode ignorá-los e deixar as dívidas ficarem fora de controle e inadimplentes.

O que é empréstimo para consolidação da dívida?

Essencialmente, você troca muitos empréstimos pessoais e financiamentos por um empréstimo maior e com juro menor. Pode parecer fora da realidade para muitas pessoas, mas esta solução é viável.

Alguns empréstimos usados para consolação de dívidas podem realmente piorar a sua situação, porque você vai dever dinheiro por um longo período de tempo, contudo, terá suas dívidas mais baratas por causa da conversão das taxa de juros maiores dos empréstimos para a consolidação e um ganho extra por eliminar algumas taxas adicionais.

O benefício óbvio é que você estará menos propenso a atrasar parcelas simplesmente porque tentando equilibrar todos os diferentes credores e datas de pagamentos. Com a consolidação de dívidas, você será capaz de liquidar ou quitar a maioria das dívidas que estão sujando seu relatório de crédito e fazendo sua pontuação de crédito ficar baixa.

Consolidação de dividas para salvá-lo da ruína financeira

Se você colocar sua casa como garantia, você pode até obter uma menor taxa de juros — isso pode até salvá-lo da ruína financeira completa, mas ao mesmo tempo pode causar a perda de sua casa, se você não acompanhar os reembolsos e ser responsável o suficiente para manter os pagamentos em dia.

A maioria dos empréstimos de consolidação de dívida são, no entanto, sem garantia ou seja, empréstimo inseguros que não coloca em risco sua casa ou veículo, este é o tipo de empréstimo de consolidação da dívida que eu acredito ser o melhor, se você tiver acesso ao empréstimo consignado em folha, melhor ainda.

Se você está realmente querendo ficar livre das dívidas você pode querer encontrar um empréstimo de consolidação da dívida que permita pagamentos antecipados sem multas ou penalidade — você pode inclusive fazer reembolso com prazos em 5 anos, 4 ou em menos tempo, 12 meses ou 3 a 6 vezes dependendo de quanta dívida você está envolvido.

empréstimo para consolidar dívida

Empréstimos de consolidação para gerenciar dívidas

Um empréstimo de consolidação das dívidas, certamente, tornam as dívidas muito mais gerenciável — como? Você estará fazendo um só pagamento simples e fixo a cada mês em vez de 4, 5 ou mais pagamentos. Somente para relembrar, se você pode conseguir uma menor taxa de juros hoje, então você definitivamente poderá se beneficiar com uma consolidação.

O interessante também é que se você obtiver algum dinheiro adicional, conseguir um aumento de salário no trabalho, ganhar um dinheiro extra e quiser acelerar o processo de pagamento da dívida, você certamente alocará mais dinheiro para pagamentos de algumas parcelas antecipadas do empréstimo.

Se você fizer seus pagamentos mensais e não assumir qualquer dívida adicional até o prazo da consolidação acabar — você estará livre de todas as suas dívidas. A consolidação de débitos funciona melhor para aqueles que têm a maioria de suas dívidas na forma de empréstimos sem garantia, como dívidas de cartão de crédito, limites de cheque especial e empréstimos pessoais de curto prazo.

Como funciona a consolidação de divida de empréstimos?

Um empréstimo pessoal online para consolidar débitos não vai funcionar muito bem para quem deseja pagar contas de consumo atrasadas, condomínios não pagos, multas por excesso de velocidade ou dívidas fiscais como o IRPF.

Se você entrar em contato com uma consultoria privada ou sem fins lucrativos para renegociação de dívidas, eles serão capazes de ajudá-lo a determinar se um empréstimo de consolidação da dívida será benéfico para sua situação financeira pessoal — ou se faria a coisa piorar ainda mais.

— Vale mencionar que alguns dos maiores credores — particularmente os credores privados convencionais, encaram a consolidação da dívida como algo negativo, porque isso indica que você tem problemas para administrar e pagar suas próprias contas — então você certamente só será lembrados por eles quando estiver completamente livre das suas dívidas.

Pode levar algum tempo para você se acostumar com as finanças apertadas e não gastar tanto quanto estava acostumado — então, coloque na sua mentalidade os objetivos certos e foque no que realmente pode ser bom para sua vida financeira.

Eu posso consolidar minha dívida mesmo sendo muito grande.

E se você não conseguir um empréstimo de consolidação da dívida com o montante suficiente para cobrir os seus empréstimos e débitos existentes? Nesse caso, você pode ter que priorizar quais as dívidas realmente são importantes para se livrar, a partir dai, opte por solicitar um empréstimo menor que cubra apenas as dívidas mais críticas.

Empréstimos pessoais a longo prazo que possuem uma taxa de juros mais baixa serão mais baratas para se manter, você realmente conseguirá economizar dinheiro priorizando o essencial.

Quando considerar fazer um plano de gestão da dívida

Se você está realmente tendo dificuldade em lidar com sua dívida do que você pode querer considerar um plano de gestão da dívida, existem várias organizações públicas e privadas que irão definir uma forma para você, sem cobrar quaisquer taxas.

Ao criar um plano de gestão do orçamento familiar, você terá como alocar qualquer dinheiro excedente para pagar seus credores. Se o seu problema com dívida chegou ao ponto em que nenhuma das opções discutidas aqui tem o potencial de melhorar sua situação, então você realmente está em situação complicada.

Consolidar dívidas ou pedir a falência — pior cenário

Finalmente, vamos discutir o pior cenário possível — pedido de falência.

Qualquer pessoa pode declarar falência: é definitivamente uma das coisas mais difíceis para qualquer um fazer, porque significa que todos os seus ativos, incluindo sua casa e carro, serão vendidos para pagar seus credores. Isto será feito por um administrador da insolvência que será atribuído ao seu caso.

Essencialmente, você perderá tudo o que tem, mas pode ser a única maneira de se “libertar” das dívidas que contraiu. Você tem que apresentar a petição de falência e um vez esse pedido acatado pelo tribunal, você terá que arcar com todas os custos e despesas provenientes desta ação, inclusive custas judiciais.

Este é um assunto muito sério que vem com uma lista de restrições e conseqüências e só deve ser considerado no mais severo dos casos. Uma vez que existe uma gama de opções para aqueles que estão decididos em gerenciar suas dívidas.

— é sempre aconselhável falar com um profissional, com ou sem fins lucrativos, que tem a expertise necessária para fornecer conselhos objetivos sobre a melhor forma de lidar com a sua situação financeira pessoal e mostrar os prós e contras dos empréstimos.

É crucial lembrar você que quanto mais tempo você deixar as dívidas e os credores para trás, pior será a sua situação; portanto, tome medidas sem demora e nunca ignore quem você está devendo — caso contrário, só acabará com ações mais sérias sendo tomadas contra você.

De qualquer forma, entenda que a consolidação pode ser boa para uns e péssimo para outros, procure entender qual a melhor solução para se livrar das dívidas e débitos que possivelmente estejam atrapalhando seus planos.

Quer ter acesso ao qualquer modalidade de empréstimo pessoal com juro zero ou menores que 3%, contrate imediatamente e quite todas as pendências financeiras o quanto antes.

Quer aprender uma forma eficiente e efetiva de ajudar a acabar com suas dívidas?
Quer nunca mais se preocupar com dinheiro novamente e assumir o controle do seu dinheiro e planejar seu futuro? Clique aqui!