Como sair da dívida tendo pouco dinheiro

como sair da dívida mesmo tendo pouco dinheiro
Se você está com dívidas ou entrando vermelho aprenda como sair das dívidas sem sacrifícios insanos mas tendo o controle todas das finanças. Leia o artigo…

Sair das dívidas com pouco dinheiro parece o sonho de toda pessoa que busca encontrar uma forma de equilibrar suas finanças. Embora saibamos que alguns tipos de dívidas, como uma hipoteca do imóvel que você mora, possa ajudar a construir riqueza ao longo do tempo quando administrados com sabedoria, estar profundamente endividado pode ser estressante e desanimador.

Felizmente, é possível para todas as pessoas sair do aperto de suas dívidas. Claro que isso não vai acontecer da noite para o dia — pode levar tempo, tem que haver planejamento e talvez alguma ajuda profissional, mas pagar seus encargos e débitos é simplesmente possível.

Seguir estes passos vai ajudá-lo a sair da dívida, e fazer você permanecer com as finanças livre para no futuro construir um bom crédito, aumentar a pontuação e ter score de dar inveja, a longo prazo – não se iluda!

Para começar o processo…

Liste tudo o que considera divida

Para pagar tudo o que você deve, primeiro você precisa saber exatamente quais e quanto são:

  • Faça uma lista de todos os compromissos financeiros: Inclua seu empréstimo imobiliário (hipoteca), empréstimo do veículo, empréstimo estudante, crédito pessoal, limite especial e outros tipos de financiamentos, carnês de crediário e faturas do cartões de crédito etc.
  • Para os empréstimos, anote a taxa de juros, o saldo devedor, a modalidade do empréstimo e o valor do pagamento mensal
  • Para cartões de crédito, anote a taxa de juros, o saldo devedor total, o valor da fatura mensal e o vencimento
  • Para cheque especial, anote o juros cobrado no período e quanto de saldo negativo esta vinculado a sua conta bancária

Se não tiver certeza que listou todas as contas em aberto, especialmente aquelas que podem estar em atraso ou como inadimplente, você pode verificar seu relatório de crédito gratuito solicitando ao Serasa, ao Boa Vista SCPC ou ao SCP Brasil. O relatório mostrará quais credores incluiram você como devedor.

Em geral as pessoas sequer tem motivação para anotar todas as dívidas com medo de saber o verdadeiro montante que esta devendo, outras ao fazer as anotações, acham que a divida é tão alta que não conseguirá pagar. No entanto, para se livrar de dívidas, por um período de tempo o endividado precisa desapegar de muitas coisas que ele adora mais o leva para o buraco.

Sair com os amigos para barzinhos e viajar todo feriado prolongado as custas do cartão de crédito ou do cheque especial não vai resolver os problemas com as dívidas.

Decida quanto você pode pagar por mês

Para liquidar parte dos débitos acumulados, existem alguns passos importantes que você necessariamente precisa tomar. Faça uma outra lista. Nesta, inclua todas as suas despesas mensais que não estão relacionadas a dívidas financeiras, liste os custos com mantimentos, contas de consumo, água, energia, telefone fixo e celular, teve a cabo, gastos com gasolina, aluguel, condomínio, entretenimento, academia, vestuário, etc.

Alguns desses valores podem variar de mês para mês, por isso é uma boa ideia levar em conta a média mensal dos meses. Por exemplo, para obter uma média para sua conta de eletricidade, some o total dos seis meses de contas e depois divida a soma por seis. Esse é o seu custo médio de eletricidade nos últimos meses.

Esta lista representa as despesas básicas que você deve pagar todo mês. Agora, compare esse valor com sua renda mensal. Considere apenas o dinheiro que você recebe liquido após pagar os impostos e outras deduções do salário. Subtraia as despesas totais de sua renda mensal.

Se a quantia que sobrar depois de pagar essas contas básicas e necessárias é menor do que a quantia que você precisa para pagar a sua dívida de compromissos financeiros e débitos, você precisará agir.

Você pode escolher…

  • Reconsidere suas despesas. Procure encontrar meios reduzir gastos, cortar despesas e parar gastar com futilidades e coisas desnecessárias. Por exemplo, se você come fora, vai muito ao cinema, gosta de doces e bolos, cortar essas coisas pode economizar dinheiro que você pode usar para pagar as dívidas.
  • Considere consolidar as dívidas. Um empréstimo para consolidação de dívidas permite-lhe unificar múltiplas dívidas com juros elevados, cartão de crédito com saldos, limites em atraso, em uma única dívida com juros mais baixos. Reduzir as despesas com juros pode facilitar a realocação de mais dinheiro para outros pagamentos.
  • Aumente sua renda. Com certeza essa ação ajudará ter mais dinheiro para pagar as dívidas. Você pode conseguir um segundo emprego, vender água no farol ou produtos e utensílios que não precisa usa. Procure um emprego que pague mais.

Se a quantia que sobrou depois de pagar as despesas básicas for maior do que o valor mínimo que você precisa pagar para sua dívida, decida quanto dinheiro adicional você gostaria de reservar para pagar a cada mês. Lembre-se, quanto mais você puder pagar acima do mínimo, mais rápido será capaz de saldar seus deveres e obrigações.

Reduza suas taxas de juros

As altas taxas de juros podem fazer com que sua dívida cresça rápido, especialmente se você tiver endividado com o cartão de crédito. Quando você está pagando muito juros, pode ser difícil pagar o saldo principal.

Aqui estão alguns tipos comuns de dívida com juros mais altos e algumas dicas sobre como reduzir os juros que você paga em cada uma delas:

Cartões de crédito

Você tem algumas opções para reduzir as taxas de juros do cartão de crédito:

  • Você pode ligar para o emissor do seu cartão de crédito para pedir a eliminação de taxa anuais e juros mais baixos. Se você tem um bom histórico de pagamentos com eles e uma boa pontuação, eles podem concordar em reduzir algumas taxas por pelo menos um período de tempo, ou até mesmo permanentemente.
  • Um empréstimo de consolidação da dívida pode ser outra maneira de reduzir suas taxas de juros, uma vez que empréstimos desse tipo normalmente cobram juros mais baixos do que os cartões de crédito.

Como ficar livre da dívida mesmo tendo pouco dinheiro

Empréstimos no limite bancário

Enquanto certos tipos de empréstimos pessoais podem ter taxas de juros baixas, e outros um tanto quanto insanos, os empréstimos com limite bancário tem taxas de juros intermediários, nem caro e nem barato, contudo, pode não ser nada agradável se você não devolver o valor emprestado dentro de no máximo 10 dias.

Se o seu limite é alto e você é daqueles que gastam sem olhar para o saldo devedor, em pouco tempo os juros aumentaram bem rápido.

Você deve ficar em dia com a sua dívida com banco fazendo um parcelamento desta dívida, caso não consiga reduzir o pagamento bruto você terá de ser capaz de obter um empréstimo em outra instituição para consolidar estes encargos bancários.

Você pode solicitar um empréstimo de consolidação de dívida de um outro banco ou outra instituição financeira que combine seus empréstimos e outras dívidas, como a dívida de cartão de crédito.

Empréstimo para liquidação de dívidas

Se você está procurando ajuda para lidar com taxas de juros mais altas e dívidas difíceis de administrar, você pode estar se perguntando se a liquidação total da dívida não é uma boa opção para você.

Algumas empresas de oferecem modalidades especiais de empréstimos com taxas tão baixas que vale a pela pegar contratar essas modalidades, pegar o dinheiro e realizar a liquidação da dívida de uma só vez. Com dinheiro na mão, basta negociar com os credores os descontos da quitação.

A liquidação total de dívida pode tornar mais fácil para você reorganizar sua vida financeira, controlar suas finanças e colocar seu CPF em ordem tirando ele da lista de devedores caso esse seja o seu caso – ter o nome limpo facilita o crédito.

Sempre que você paga pelos menos uma parcela das demais de uma renegociação, ou paga o valor total devido ao credor, ele tem até cinco dias para retirar a informação negativa do seu relatório de crédito. Informações que o torna negativado, contribui para a perda de crédito na praça e reduz a pontuação de crédito.

Procure por organizações que fazem o aconselhamento de crédito para poder ajudá-lo a entender melhor as táticas para gerenciamento e reduzir da sua dívida individual, incluindo a criação de uma planilha para cumprimento do plano.

Pague suas contas e dívidas em dia a cada mês

Pagar todas as suas contas em dia, no vencimento a cada mês é uma das melhores coisas que você pode fazer pelo seu nome, pela finanças e pelo crédito. Tome medidas necessárias que garantam que você se lembre de pagar seus compromissos financeiros dentro do prazo esperado.

Ao configurar os pagamentos para que sejam feitos automaticamente ou com lembretes de pagamento por meio de seu banco, isso irá garantir que você nunca perca o vencimento de nenhum pagamento que gere encargos e multas, ou mais juros.

Se você está percebendo que está tendo problemas para manter todas as suas contas em dia e acompanhar quais os pagamentos devem ser completados, algumas ações simples podem te ajudar, inclua:

  1. Um novo empréstimo para unificar e consolidar suas dívidas permitirão que você substitua vários pagamentos mensais em um único.
  2. Um plano de gestão da dívida reduzirá o número de pagamentos que você precisa se lembrar todos os meses.
  3. Uma consultoria ou um conselheiro de crédito irá negociar com seus credores para ver se eles aceitarão taxas de juros menores, algumas isenções de taxas ou a liquidação do valor com descontos.

Naturalmente, você não precisa da ajuda de um profissional, coach ou consultor de crédito para criar seu próprio plano para administrar suas dívidas mensais. Existem várias maneiras de pagar dívidas:

  • Pegue dinheiro extra para pagar os débitos e despesas com taxas de juros maiores. A longo prazo, isso reduzirá o total de juros.
  • Pegue dinheiro extra para pagar as faturas do cartão de crédito ou parcele o valor do saldo com seu banco ou na administradora do cartão. Você será capaz de pagá-lo mais rápido.
  • Primeiro, lide melhor com as dívidas que geram mais impacto ao seu bolso e na sua vida pessoal para evitar cobranças e o aumento de juros sobre o valor do principal, além de risco de perda de bens como no caso da hipoteca.

Seja responsável e inteligente

Se você está trabalhando para pagar suas dívidas atuais, é importante não prejudica todo o seu esforço assumindo novas dívidas. Evite a tentação de pedir um novo empréstimo pessoal ou gastar com cartão que possui limite livre, se fizer isto, irá apenas aumentar sua dívida e prejudicar ainda mais a sua situação.

Cada vez que você saldar uma dívida com sucesso, no próximo mês coloque o dinheiro extra liberado para pagar mais de suas outras contas pendentes. Nos meses em que você ganha mais dinheiro, fora o da renda prevista, ou suas despesas cotidianas ficaram menores, faça o dinheiro trabalhar para você, faça sempre pagamentos adicionais para acabar com suas dívidas.

E se você ainda precisar de ajuda?

Às vezes a dívida é grande demais, e você tem medo de não conseguir pagar tudo o que deve. Bom, você tem algumas opções de último recurso, incluindo um plano de gerenciamento da dívida.

Um dos grandes erros de muitos devedores é deixar as dividas, compromissos financeiros e financiamentos sem garantia ficarem para trás. O problema não é tão grande quando se trata de empréstimo sem garantia, mas quando falamos de hipotecas e financiamentos com bens como garantia ai a corda pode apertar o pescoço.

Dependendo do tipo do empréstimo pessoal deixado pra trás, as informações como negativado permanecerão no seu relatório de crédito por 3 ou 5 anos, se for para o cartório, ficará por muitos anos. Pode não valer muito a pena deixar as dívidas caducarem.

Você pode ter todas as suas dívidas eliminadas ao fazer um empréstimo com garantia ou um empréstimo consignado que possui taxas de juros menores que 2,5%, se não puder, encontre um bem de valor, uma joia por exemplo e faça um penhor como forma de conseguir dinheiro emprestado.

Nunca deixe de fazer um plano para pagar pelo menos parte de sua dívida.

Uma vez que você estiver livre de todas as dívidas, pendências financeiras com credores e com nome limpo, comece a reconstruir seu crédito. Continue praticando boas práticas de crédito e gestão financeira das finanças.

Pague todas as suas contas e compromissos no vencimento e evite deixar saldos no cartão de crédito pagando somente o mínimo no mês e sempre terá meios e formas sem burocracia de conseguir dinheiro emprestado.

Como reduzir dívidas com empréstimo pessoal

como reduzir dívidas com empréstimo pessoal

Como reduzir dívidas e custos com dívidas financeiras fazendo um novo empréstimo? Pensando bem não faz sentido pagar o valor mínimo das dívidas que você tem acumulado, e ao ser aprovado em pedido de empréstimo pessoal você continua com todas elas intactas. Então tente por em prática algumas de nossas dicas para reduzir o custo da dívida e dos seus empréstimos.

Quando você compara ofertas para pedir empréstimo ou cartão de crédito, a coisa mais óbvia a se fazer é solicitar uma modalidade com a menor taxa de juros, geralmente expressada como taxa de juro mensal e anual descrito no custo total efetivo da operação.

Infelizmente, depois que você se candidatar para pegar dinheiro emprestado em bancos e financeiras e recebe o resultado com boas notícias, ou seja, que você foi aprovado para uma determinada quantia, às vezes há um choque desagradável quando você percebe realmente o quanto de juros terá que pagar por vários meses.

Realmente saber que o juros se tornou muito maior do que você viu sendo anunciado não é nada legal.

Outro detalhe.. Quando juntamos todos os custos, despesas, dívidas de crédito e débitos do cotidiano, dependendo da sua renda, tudo isso pode ficar insuportável de manter ao longo dos meses ou anos – então o que fazer?

A partir daqui incluiremos muitas dicas para você ficar positivo ou até mesmo deixar de ser negativado, além de ter dinheiro sobrando no bolso e pegar seu empréstimo pessoal sem burocracia na hora que quiser sem prejudicar suas finanças.

Pontos chave para se livrar de dívidas

  • Os juros de empréstimos pessoais, limites bancários (cheque especial) e cartões de crédito são quase todos mais altos do que as taxas de consignado, penhor ou empréstimo coletivos – tente pagar esses tipos de dívidas primeiro, começando pelos juros mais caros.
  • No Brasil ainda não é costume, mas comece trabalhar para melhorar seu histórico de crédito, aumentar seu score dará mais acesso as melhores ofertas de crédito e empréstimos pessoais.
  1. Considere realizar sempre um pesquisa completa com todas as opções de empréstimo que tem disponível para o seu perfil de consumidor, para isso use ferramentas online de busca e comparação fácil para encontrar as melhores empresas de empréstimo e o melhor tipo de empréstimo.
  • Dependendo do tipo de empréstimo que você contratar ira cobrar menos juros do que outros, então pode fazer muito sentido você consolidar suas dívidas pegando dinheiro mais barato e pagando dinheiro mais caro.
  • Quanto mais cedo você pagar suas dívidas, menos juros será acumulado durante o período vigente – mas você precisa ficar atento às cobranças adicionais sobre pagamento antecipado ou quitação do empréstimo.

Tudo o que você precisa para pedir dinheiro emprestado mais barato é encontrar a maneira mais barata de fazê-lo, a empresa que tem a melhor ofertas e o tipo de empréstimo com juros menores.

Afinal, quanto mais barato o crédito contraído, mais do seu dinheiro vai para a pagamento da dívida ou para o saldo da sua poupança ou investimento.

Melhore sua pontuação de crédito no Serasa/SCPC/SPC Brasil

Uma das maneiras mais claras e positivas para reduzir dívidas com empréstimo é aumentar a pontuação de crédito que os agentes de crédito mantêm sobre você.

Com maior score e histórico limpo de inscrições negativas, ajudará você a obter acesso às taxas de juros mais baixas e ofertas de crédito pessoal mais atraentes junto as instituições financeiras.

Sem dúvidas, você poderá economizar uma boa quantidade de dinheiro, seja no seu primeiro empréstimo ou em empréstimo recorrentes, seja pela reorganização da dívida para reduzir o valor pago atualmente.

Escolha o empréstimo pessoal certo para você

A forma mais barata de empréstimo dependerá de quanto você precisa e por quanto tempo tem para procurar, além disso, tem o fato de você estar inserido em alguma categoria de pessoas como:

  1. Aposentado e Pensionistas da Previdência – Empréstimo para INSS
  2. Servidores e Funcionários Públicos – Empréstimo para Servidores Públicos
  3. Militares da Forças Armadas – Empréstimo para Militares
  4. Assalariados de Empresas Privada – Consignado Privado

A modalidade de empréstimo certo dependerá do seu momento, do seu perfil e das suas circunstâncias, portanto, certifique-se procurar ao redor e comparar todas as alternativas.

aprenda reduzir dívidas com empréstimo pessoal

Saques no cheque especial

Se você precisa de algumas centenas de reais rápido por um período de tempo relativamente curto – até 10/20 08 30 dias, então vale a pena considerar fazer um saque no seu cheque especial pré-aprovado em sua conta corrente.

Muitos bancos oferecem limites de crédito pessoal sem juros por um período e pequenos juros dentro de prazo específico – apenas certifique-se de falar com seu gerente de banco antes de ficar devendo ou no vermelho, porque, caso contrário, as penalidades como multas e juros sobre o saldo devedor podem ser muitos severas.

Dinheiro com cartões de crédito

Os juros dos cartões de crédito podem ser muito mais altos do que qualquer empréstimo pessoal, com excessão ao empréstimo de agiota, mas alguns oferecem um período sem juros para novas compras e outros fornecem uma longa período sem juros na parcelas, verifique se não é interessando ao invés de usar dinheiro, comprar com seu cartão aproveitando esses benefícios.

Priorize o pagamento da sua dívida mais cara sem correr o risco de não conseguir cumprir os pagamentos mínimos em seus outros compromissos financeiros essenssiais

Para entrar nessa de usar o cartão ou saque de dinheiro no cartão, você deve estar confiante de que não será tentado em deixar a dívida do cartão por mais tempo do que o período sem juros, ou você corre o risco de pagar uma das formas mais caras de usar dinheiro emprestado.

Empréstimos pessoais e hipotecas

Você normalmente vai descobrir um hora ou outra que quanto maior a sua dívida, menor será a taxa de juros oferecida ou cobrado pelo valor contratado ex: empréstimo imobiliário.

Isso significa que – se você tem um número de empréstimos menores, com dívidas como os de cartões de crédito, cartão de lojas, empréstimo para negativados – pode ser mais barato consolidá-los em um empréstimo com garantia de imóvel (hipoteca) ou empréstimo com garantia de veículo.

Empréstimo peer-to-peer

Os empréstimos peer-to-peer estão se tornando cada vez mais comuns e aceitos no mundo das finanças tradicionais aqui no Brasil, as taxas desses tipos de empréstimos pessoais podem ser bem atraentes se você encontrar a empresa certa para concluir seu pedido.

Tal como acontece com os empréstimos pessoais convencionais, você geralmente descobrirá que, se tiver negativado com histórico de crédito ruim, terá que pagar mais caro para garantir a liberação do empréstimo e o pagamento e redução das suas dívidas.

Cooperativas de crédito

Existem muitas cooperativas de crédito que emprestam dinheiro para as pessoas associadas com taxas de juros muito baixos.  facilidade está em conseguir empréstimo pessoal quando houver dificuldade em obter crédito nos meios tradicionais como bancos e financeiras.

Em alguns casos, as taxas de juros podem ser equivalentes ao mercado convencional, mas os produtos financeiros oferecidos em cooperativas servem bem para pessoas que não se qualificam para as melhores ofertas de empréstimo bancário, empréstimo consignado ou não possuem bens para dar como garantia.

Se associar em cooperativas também ajudar não correr o risco de cair nas mãos de agiotas e credores alternativos que praticam juros excessivos.

Faça pesquisa e comparação de crédito

Quando tiver decidido sobre qual o tipo de empréstimo pessoal ou outro produto de crédito qualquer que deseja para conseguir recursos financeiros, use sempre uma ferramenta de comparação ou sites de reviews com analises inteligentes como disponível aqui no GranaSmart.

Essas ferramentas permitem que você faça conheça como funciona um determinado tipo de empréstimo e como a empresa tem se comportado na mercado de crédito. Mostrará também quais os melhores empréstimos com os quais você provavelmente será aceito antes de prosseguir com sua solicitação.

Uma pesquisa simples poderá ter um impacto real na quantidade de dinheiro que você poderá pegar, e na quantidade de economia com juros ao fazer a escolha certo do seu novo empréstimo, refinanciamento ou portabilidade de crédito.

Reduzindo o custo da dívida existente

1. Priorize a dívida

Faça uma lista de todas as suas dívidas atuais em andamento, inclua débitos como empréstimos, financiamentos, saldos de cartão de crédito, débitos com limites bancários, cartões de lojas, hipoteca e outras dívidas caras.

O ideal é priorizar o pagamento de dívidas com custos mais elevados, e aquela que você não pode correr o risco de não conseguir fazer os pagamentos mínimos, e também as de compromissos essenciais que não podem deixar de serem pagas.

confira dicas para reduzir dívidas com empréstimo pessoal

Paga suas dívidas antes de poupar dinheiro

Se você está com dívidas em andamento, mas você tem dinheiro sobrando na poupança, ou no banco investido em algum papel, tenha em mente que você pode estar pagando mais caro para manter seu empréstimo do que você está ganhando com os juros de seus investimentos.

Veja também:

Use seu dinheiro da melhor forma possível! Talvez seja viável pagar a totalidade ou parte das dívidas, embora você deva pensar cuidadosamente antes de usar seus recursos de emergência para pagar empréstimos pessoais antecipadamente, essa não é uma má ideia.

Para falar a verdade, todas as pessoas precisam ter uma guarda chuva para os dias chuvosos – nosso conselho é típico, tente acumular cerca de três a seis meses de salário. Caso tenha dinheiro sobrando, pense em usar esse dinheiro para pagar qualquer dívida com juros caro ou muito caro.

Pagar parcelas antecipado

Provavelmente você faz os pagamentos das parcelas mês a mês, você sabia que parte do seu dinheiro é simplesmente para pagar os juros, enquanto o restante paga a sua dívida principal.

− Quitar sua dívida mais cedo em geral ajuda economizar algum dinheiro com juros, então, se possível, tente fazer pagamentos duplos de parcelas ou quitar todo o empréstimo quando tiver a oportunidade.

Pela lógica financeira, quanto mais cedo você terminar de pagar um contrato de empréstimo, menos você vai pagar de saldo e juros – lembrando que você deve levar em conta todas as taxas que evolvem a quitação ou pagamento antecipado antes do tempo.

Verifique com o seu credor quais são os custos, multas ou penalidades previstas ao efetuar pagamentos antecipados. Depois de saber, solicite a carta de quitação, extrato ou outro documentos de permita liquidar a dívida no valor total ou parcial para garantir que esse recurso valha a pena.

Você se surpreenderia com o quanto você poderia economizar no custo do seu empréstimo, pagando parcelas antecipada ou quitando antecipadamente o saldo devedor – mesmo que haja custos adicionais para fazer isso.

Se você tem acesso a empréstimo com juro zero ou sem juros, ou ainda acesso ao consignado em folha que tem juros menores que 2,10%, não perca tempo, contrate-o e pague qualquer outro empréstimo acima de 5% de juros mensal.

Consolide sua dívida para economizar com juros

Quando você tem dinheiro extra ou acesso a empréstimos mais baratos, significa que você pode economizar dinheiro consolidando as dívidas em uma única dívida, procedimento muito mais conveniente, pois você só terá que lidar com um ou dois credores no máximo.

Se você fizer um empréstimo para consolidação da dívida, saiba que isto é realmente uma boa idéia, cancelar qualquer crédito pessoal caro e cartões com juros altíssimos para que você não acabe com uma grande bola de neve de dívidas faz todo sentido, além de cortar a tentação do consumismo pela raiz!

Pense no refinanciamento com garantia

Indiscutivelmente a melhor forma de consolidação da dívida é pensar em usar o empréstimo com juros mais barato como a hipoteca ou empréstimo com garantia.

Embora essa possa ser uma boa alternativa, é frequentemente com juros mais barato, 1,49% ao mês, por vezes ela se torna uma dívida com prazo longo, e não tão segura, pois a pesar de pagar uma taxa de juros muito baixa, seus bens ficam alienados até o final do contrato.

Você deve sempre pensar cuidadosamente antes de dar como garantia de dívida a sua casa, imóvel rural ou carro.

Valem mencionar que a administradora do seu cartão de crédito não pode leiloar sua casa ou carro, mas um credor de hipoteca pode. Isso torna essencial que você evite contrair dívidas com riscos futuros – pense nisto!

Antes de solicitar um empréstimo com garantia, olhe para todas as outras opções e alternativas de empréstimo pessoais disponíveis.

Veja também:

Você está lutando para pagar dívidas?

Se você está lutando para saldar todas as suas dívidas mês após mês, suas parcelas estão apertando suas finanças e orçamento pessoal ou familiar, fale com o seu credor como um primeiro porto para saber qual as possibilidades de renegociar ou até refinanciar a dívida.

Credores como…

➜ Ferratum MoneyFinanZeroNoverdeLendicoCrefisaCreditasJust Online, GeruMoneyManSimplic, podem muitos úteis ao precisar de crédito ou empréstimo pessoal.

Normalmente os credores não querem que você fique inadimplente deixando de pagar a dívida, então, ele pode encontrar uma maneira de ajudar. Se não for possível, encontre outros meios de realizar a quebra dos juros para reduzir as dívidas com seu empréstimo pessoal ou financiamentos.